Práticas - Avião - JD 2

Uma viagem ao jardim de Monet

Escolas organizadas, inicialmente, em locais improvisados, com a participação ativa dos pais, tanto em sua reconstrução depois de bombardeios da Segunda Guerra quanto na educação formal de seus filhos, além de uma visão extraordinária de um jovem professor na época – Loris Malaguzzi -, geraram uma filosofia conhecida como Abordagem Reggio Emilia para a Educação Infantil, que fixou uma das bases para o desenvolvimento desta atividade, realizada com as turmas da Educação Infantil durante as aulas de Arte, com a orientação da professora Isa Pardini, da Unidade SEB Portugal.

Os seguintes fatores são inerentes a essa abordagem:

  • A imagem da criança como protagonista, investigadora e comunicadora;
  • O professor como parceiro, guia, pesquisador e aprendiz;
  • A importância da Arte como linguagem expressiva;
  • A cooperação como base de todo o sistema educacional;
  • O ambiente como o terceiro professor;
  • Os pais como parceiros no processo de ensino- aprendizagem;
  • A Documentação Pedagógica como forma de comunicação.

 

O método instiga nossas mentes e sinaliza para as intervenções pedagógicas e buscas para um projeto dinâmico – de dar sentido vital e cultural a cada um dos momentos mutantes da infância.

Com o objetivo de estimular a leitura de imagem, desenvolver a linguagem oral, estimular o desenvolvimento da memória, da imaginação e da percepção e desenvolver registro por meio de imagens, a professora utilizou, no lugar de fotografias – como sugere a atividade Uma boa lembrança, presente no livro Avião-, obras do pintor Claude Monet.

A professora apresentou às turmas várias obras do artista, discorrendo sobre a história de cada uma e do próprio pintor, o que promoveu a contextualização das imagens.

No “passeio” pelas obras, as crianças encantaram-se com a Ponte Japonesa e as flores que embelezam o lago. Aproveitando esse momento de curiosidade, a professora deteve-se um pouco mais nesses pontos.

As Ninféias ou Lírios de Água trouxeram às crianças várias descobertas e, durante esse processo, fizeram diversas intervenções verbais (Por que essa flor nasce na água?; Como elas não afundam?; Por que a folha é grande e redonda? entre outras), cumprindo-se alguns dos itens citados na Abordagem Reggio Emilia.

Depois dessa experiência, chegou o momento da produção artística. As crianças reproduziram em seus livros as imagens que memorizaram, aquelas que mais chamaram sua atenção. Então, juntamente com a professora, teceram um painel para arquivar estas vivências e retomar em suas mentes o pensamento de que estavam avidamente em construção.

A curiosidade, o protagonismo e a criatividade fizeram do conhecimento uma linda obra de arte, que foi exposta na escola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *