Práticas - Histórias - 9º ano

A janela enigmática de Magritte

Data: 20/05/2016

Unidade Araçatuba

9º ano

Professor: Valdeci                                           Disciplina: Ciências Sociais

Atividade 05 – A janela enigmática de Magritte

Objetivos:

– Perceber diferentes leituras em diferentes textos;

– Compreender diferentes ações em diferentes contextos;

– Incorporar ideias artísticas e filosóficas às discussões sobre determinado tema;

– Levar os alunos a interpretar, entender e aceitar a ideia do outro.

 

Primeiramente, foram apresentadas, além de ‘A condição humana’ (uma janela enigmática), outras obras de Magritte, mostrando a visão surrealista do artista.

A partir desse conhecimento e das afirmativas “Cada um lê com os olhos que tem. E interpreta a partir de onde os pés pisam. Todo ponto de vista é a vista de um ponto.”, de Leonardo Boff, foi proposta aos alunos uma discussão a respeito de ações, fatos, escolhas e tomadas de decisão do cotidiano que, para serem compreendidas, dependem da leitura que se faz e do contexto em que se vive.

Os alunos, então, debateram sobre o tema e, pensando ainda nas propostas do mesmo autor das afirmativas a respeito da forma como o outro lê, além de indagações filosóficas, foram sendo ampliadas as discussões, sempre mediadas pelo professor, no sentido de que os alunos percebessem a mudança ocorrida no curso da discussão e ‘a condição humana’ que se revela nesse momento.

Algumas indagações foram feitas para que chegassem ao objetivo proposto pelo professor: “Como lembro?”; Quando estou consciente?”; “Qual é a luz que ilumina meu caminho?”; “Quando estou inconsciente?”; “Que mundo minha janela domina?”.

Ao final, os alunos registraram suas impressões no espaço do livro, em que se encontra a estrutura da obra de Magritte.

Foi muito rico perceber que os alunos compreenderam que há diferentes ideias sobre um mesmo tema, e que isso depende muito da visão, da formação e das experiências de cada um, da capacidade pessoal de visibilidade e de invisibilidade, proposta do próprio Magritte, e que essas diferenças são a grande riqueza e a grande luz da humanidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *